Nos dias de hoje, os gatos estão a tornar-se o animal de estimação mais popular nos grandes centros urbanos. A realidade é que são uma mais valia em qualquer lar, como fruto de uma partilha sem igual. Adquirir um gato proporciona não só prazer, alegrias e gargalhadas, mas é também um compromisso para a vida.

A escolha de um gato deve ter em conta a sua preferência e a sua personalidade, assim como a do gato. Existem gatos para todos os gostos e feitios: grandes, pequenos, de pelo longo, curto, liso e encaracolado, sem pelo, de raça (existem cerca de 250 raças), sem raça, um sem fim de escolhas.

Os gatos são animais misteriosos, altivos, independentes, contudo extremamente dedicados ao seu dono. Não necessitam de passeios, não gostam de mudanças e aprendem facilmente a viver dentro das nossas regras.

Devemos ter em conta o nosso estilo de vida e o tempo que podemos despender com o nosso novo amigo, pois um gato bebé precisa de mais atenção e de um maior número de refeições durante o dia. Desta forma pense bem ao escolher um bebé, um jovem ou um adulto.

O que necessito adquirir para o gato?

TRANSPORTADORA: Independentemente da raça, idade ou sexo do gato eleito, deve ser sempre transportado numa transportadora segura e adequada, para segurança quer do gato, quer do dono, evitando fugas ou acidentes durante as deslocações.

CAMA: Escolha um local para servir de quarto e mostre-lhe a cama que deve ser confortável e aconchegante, para que se acostume a dormir la.

WC: Existem vários no mercado – abertos, fechados, com limpeza automática – escolha consoante a sua preferência, sabendo no entanto que no caso de wc fechados, é necessário, na maioria dos casos, habituar o gato a entrar e sair.

Areia: Também existem imensas variedades no mercado, aqui também devemos ter em atenção que os gatos podem não gostar do toque da areia escolhida nas almofadinhas e por isso deixam de a usar. Aqui a escolha não depende apenas do dono.

COMEDOURO E BEBEDOURO: Devem ser de fácil limpeza e pesado, de forma a não virar facilmente. A água deve ser o mais fresca possível, mudando-a várias vezes por dia. Os gatos gostam de água fresca e alguns preferem em movimentos, existindo para o efeito bebedouros que mantêm a água em movimento – bebedouros automáticos e/ou fontes.

ALIMENTAÇÃO: Existem várias marcas no mercado, podendo optar por comida húmida, seca ou caseira de acordo com as necessidades e características do animal. A alimentação é um dos pontos fulcrais para ter um gato saudável, uma boa alimentação previne uma panóplia de doenças e idas por doença ao veterinário.

ARRANHADORES: Essencial para quem quer manter os seus móveis sem fios puxados e arranhões. Faz parte do gato exercitar e arranhar, desta forma ou temos arranhadores e estimulamos e ensinamos os mesmos a usarem os que compramos para o efeito, ou eles escolhem os sofás e as cortinas entre outros. Os arranhadores devem ser de material forte e resistente e de material diferente dos tapetes e objetos da casa, pois se forem iguais, eles não os distinguem.

BRINQUEDOS: Devem ser próprios para gatos, devem ser resistentes, não devem soltar pedaços, não devem rasgar, nem ser engolidos. Dar brinquedos aos gatos e vê-los a brincar é das coisas mais prazerosas para quem gosta desta espécie.

Existem gatos de todas e idades e raças à espera de um dono 5 estrelas, adquira um gato em consciência e entre numa aventura para uma vida.

Muitas vezes pensamos nisto e realmente há determinadas coisas que não nos podemos esquecer. No momento de integrarmos um animal no nosso agregado somos responsáveis por cuidar dele durante toda a sua vida. É necessário cuidar da sua higiene, alimentação, saúde e ocupação de tempo. Isto toma tempo, mas quando tomamos esta decisão em consciência e com gosto temos a certeza que será a melhor decisão da sua vida! Eles estão sempre à nossa espera, conhecem os nossos hábitos, têm uma necessidade extrema da nossa companhia e adoram fazer atividades connosco.

Para uma saúde de ferro devemos apostar sempre na prevenção de doenças e problemas, ao invés de tratarmos apenas quando vão aparecendo. Para isto devemos cuidar da alimentação, higiene, local de repouso, desparasitações e vacinações corretas, com um acompanhamento veterinário atempado e cuidado. Assim podemos até evitar despesas e preocupações.

Na alimentação existe uma variedade imensa de rações: rações secas, húmidas, cruas, com grão, sem grão, veterinárias, entre outras e não esquecendo as alimentações cozinhadas e/ou preparadas em casa. Tudo depende das necessidades dos cães a nível de crescimento, raça, saúde e da nossa vontade ou preferência. Aquando da escolha, temos de ver a composição qualitativa. Muitas das rações de baixo custo têm ingredientes fracos e pouco adaptados ao sistema digestivo canino, o que faz com que seja necessário mais quantidade de alimento para obter o mesmo valor nutritivo de rações de boa qualidade. Nas rações premium e super premium os animais também obtêm suplementação que suporta o seu crescimento e vitalidade.

E quanto à raça? Isso serve para alguma coisa? Cada cão deve ter as características que mais se adequam ao nosso estilo de vida, maiores, mais pequenos, mais atléticos ou sedentários, pelo mais curto ou mais longo, que exige maior ou menor trabalho diário. As raças surgem por uma seleção de características comuns que hoje em dia caracterizam o animal tanto a nível de aspeto físico, mas também na sua atitude e capacidade para desempenhar determinadas funções. Infelizmente, com esta seleção também há patologias que se tornam mais comuns e é indispensável pensarmos nisto quando escolhemos uma raça. E os rafeiros? Os rafeiros são cães excecionais, com a grande vantagem de normalmente, ao não terem sofrido tanta seleção, estarem menos propensos a problemas de saúde. O tipo de pelo e tamanho é percetível mesmo enquanto cachorros por pessoas especializadas.

E se tiver de sair? Cada vez há mais hotéis com a possibilidade de também hospedarem os nossos animais, mas iremos conversar mais sobre o transporte de animais e alojamento mais à frente. Não é só onde ficar, mas como transportar quer para férias quer no dia-a-dia.

E a educação? Um cão é mais um membro da nossa família, e como tal, devem existir regras de convivência que os cães agradecem e com isto conseguimos um convívio saudável. Numa fase inicial, quando adotamos um cachorro temos de pensar na sociabilização do cachorro. Se isto for bem feito e pensado conseguiremos ter um cão saudável, equilibrado e pouso stressado. O cão é um animal de hábitos com necessidade de hierarquia, muitas vezes “imposta” com regras extremamente simples, tal como aquelas que existem também no nosso seio familiar

E a nível de higiene? Tal como nós os animais têm a necessidade de realizar as suas necessidades fisiológicas e para isso devemos ter um sítio específico para tal e horários o mais regulares possível. Numa fase inicial, tal como os nossos bebés, têm de se habituar a horários, locais e regras, o que pode ser complicado de gerir no nosso dia-a-dia, mas com o crescimento e habituação, os nossos cães serão capazes de cumprir o que lhes é pedido. Um ponto importante a considerar é a fase de cachorro em que ainda não têm o sistema imune suficientemente maturo para resolver algumas patologias típicas de cães o que pode por em causa a sua vida. Nesta altura é preferível mantê-los em casa, o que pode complicar a habituação a um local para as suas necessidades, mas fazendo o plano vacinal de forma correta e com os cuidados necessários, ultrapassará esta dificuldade rapidamente!

O que é mais importante de tudo é a nossa atenção para o nosso animal e a disponibilidade para estarmos com ele e aproveitarmos a vida com ele. Com certeza será um grande prazer!

O QUE É PRECISO PARA SE TER UM ANIMAL?

É com frequência que surge a ideia de ter um animal. A escolha é sempre a parte mais difícil pelo que neste artigo pretendemos ajudar a esclarecer algumas dúvidas, dissipando medos e angústias que possam surgir.

Inicialmente devemos ter em linha de conta as nossas características pessoais e as que procuramos no parceiro que escolhemos para a nossa vida. Com isto, vamos estar a selecionar a espécie que melhor se adapta ao nosso estilo de vida e às expectativas que temos. Eu posso ser um desportista e correr 10 km por dia com o meu cão ou ir a uma exposição com o meu gato ou até passar horas a ouvir o maravilhoso canto de um pintassilgo. O importante é ser feliz e fazer o nosso companheiro animal feliz, desfrutando de algum tempo diário de qualidade e apaziguamento.

Escolhida a espécie, devemos ter em consideração todas as suas características e necessidades para que possamos proporcionar toda a qualidade na alimentação, alojamento e cuidados veterinários. Hoje em dia existem excelentes equipamentos e acessórios de tal forma especializados e desenhados para suprir todas as necessidades de cada espécie que é para o “dono” um desafio e ao mesmo tempo um prazer escolher e adaptar as necessidades às vontades… Os equipamentos e acessórios disponíveis muitas vezes refletem não só as necessidades e características da espécie mas também o nosso estilo de vida permitindo uma total e harmoniosa integração do animal na nossa vida.

É importante que a alimentação seja a mais adequada e específica para a espécie e necessidades do nosso companheiro, este pequeno grande pormenor pode influenciar a vitalidade e a esperança de vida no nosso animal.

Deve procurar aconselhamento de profissionais habilitados para o efeito. A Pet Wishes propõe-se a ser o seu parceiro para que desfrute em pleno do seu companheiro!